A Faculdade de Tecnologia do Cooperativismo – Escoop realizou entre os dias 19 e 21 de novembro, em seu auditório, a quinta edição da Semana Acadêmica e Mostra de Iniciação Científica. O evento trouxe como tema central de debate o empreendedorismo no cooperativismo e contou com a participação de alunos da graduação e pós-graduação, além de egressos do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Cooperativas.

            No primeiro dia do evento, o diretor-geral da Escoop, Mário De Conto, saudou o público presente e destacou a consolidação da Semana Acadêmica e da Mostra de Iniciação Científica no calendário da instituição. Na sequência, o superintendente técnico-operacional do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Gerson Lauermann, conduziu a abertura. Em sua apresentação, o dirigente falou sobre a sua história e experiências dentro do movimento cooperativo. “Eu acredito muito no cooperativismo, é uma forma mais humana e democrática que valoriza as pessoas”, afirmou.

Autogestão

            Lauermann explanou sobre o Programa de Autogestão do Sescoop e reforçou a importância dele estar inserido dentro do planejamento estratégico do Sistema Ocergs-Sescoop/RS. Entre os desafios, o superintendente ressalta o desafio da profissionalização da gestão e governança do sistema cooperativo, além do monitoramento de desempenho e resultados com foco na sustentabilidade das cooperativas. “Para acontecer o processo de autogestão é necessário que todos os órgãos da cooperativa funcionem: Assembleia Geral Ordinária (associados), diretoria, gestores, Conselho Fiscal, auditoria interna e auditoria externa”, explica.

Escoop: Concretização de ideias

            Após a palestra de Lauermann, a associada da Cootravipa, Adiles Marina Justo, o diretor comercial da Express Cooperativa de Motoqueiros, Cristian Henriques de Sequeira e a gerente do Sicoob Credijustra, Raquel Pimentel de Castro, participaram da mesa de debate “Egressos da Graduação da Escoop e a concretização de ideias”, sob a mediação do aluno da graduação da Escoop, Gabriel Carnevale.

            “Estudar na Escoop foi a melhor decisão que eu poderia ter tomado na minha vida. Hoje eu consigo participar mais da minha cooperativa com ideias mais concretas, com todo aprendizado que eu tive aqui dentro”, disse Adiles. E o reconhecimento ao ensino da instituição também foi enfatizado por Sequeira. “A Escoop trouxe uma contribuição para a minha vida que eu não consigo mensurar. Tudo aquilo que aconteceu na minha vida e vem acontecendo tem total relação com o que eu vivi aqui, com as aulas que eu tive com os professores e com a convivência com os colegas”.

            Para a gerente do Sicoob Credijustra, Raquel Pimentel de Castro, o cooperativismo é um motivo de inspiração para a sua vida. “O cooperativismo é apaixonante, sinto prazer no que eu faço. Eu não quero trabalhar com outra coisa que não seja com o cooperativismo, porque ele me traz uma satisfação pessoal, ele valoriza as pessoas e gera resultados para as comunidades nas quais as cooperativas estão inseridas”, comentou Raquel.

20 de novembro

A segunda noite contou com a palestra do superintendente da Federação das Cooperativas de Energia, Telefonia e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul (Fecoergs), José Zordan, sobre “A saga das cooperativas de energia e o desenvolvimento do RS”. Na ocasião, ele apresentou o trabalho desenvolvido pelas cooperativas de energia do Estado e seu papel na inclusão social, explicou a diferença entre as cooperativas permissionárias e de geração de energia, a origem e papel da Fecoergs, bem como o plano de operação e manutenção em dias de contingência. “Atualmente, o plano é composto por 24 cooperativas de distribuição e melhora de procedimentos operacionais, logísticos e de comunicação para a gestão interna e a intercooperação, quando acontece alguma intempérie. Isso demonstra que a qualidade do serviço das cooperativas é cada vez maior”, destacou.

Mesa de debates

Em seguida, o acadêmico Michel Barcelos mediou a mesa de debates sobre “Ensino de pós-graduação e a formação de lideranças”, com os alunos de MBAs da Escoop. A presidente do conselho administrativo da Cooperativa dos Servidores da Ascar/Emater-RS, Bernardete Pilatti, dividiu suas experiências e aprendizados com a pós-graduação da Escoop sobre o que é liderança e como ser um bom gestor com os presentes, sua trajetória na cooperativa e a importância da Faculdade no seu crescimento profissional. “Aprendi muito e coloquei muita coisa em prática do que aprendi aqui, principalmente sobre planejamento estratégico e todo mundo da cooperativa também ganhou com isso, pois a gente também aprende a compartilhar. Me sinto muito orgulhosa de perceber a diferença na forma de agir e gerir entre quem está ou não estudando o cooperativismo”, concluiu.

O gestor sócio cultural da Uniodonto Porto Alegre, Carlos Alberto Luzzi, apresentou a história da cooperativa, mapa estratégico, desafios que passaram até desenvolver o método de excelência em gestão em vigência, e como a cooperativa criou sua filosofia organizacional, bem como o cenário nacional de sua governança e gestão. “Nosso ranking mostra que aumentamos o número de beneficiários, a remuneração de cooperados, temos um índice de liquidez maior do que a média e muitos outros resultados positivos. O mercado de trabalho está agressivo e precisamos estar atentos para sobreviver a ele”, destacou.

A presidente da Federação das Cooperativas de Trabalho do Rio Grande do Sul (Fetrabalho/RS), Margaret da Cunha, apresentou as cooperativas do ramo, suas peculiaridades, a importância da participação dos associados nas assembleias para as tomadas de decisões e como a Federação trabalha para que essa participação seja cada vez mais efetiva, os requisitos que devem ser preenchidos para ser um gestor e um empreendedor de sucesso e a importância da Escoop no processo de qualificação para alcançar esses resultados. “Depende de nós que a prática e a teoria caminhem juntas. Devemos fazer a diferença, independente do lugar em que estamos, pois todos nós, associados de cooperativas de Trabalho, somos empreendedores e decidimos o futuro de nossas cooperativas”, finalizou.

Cooperativismo americano: tendências de pesquisas

O mestre em Agronegócio da UFRGS e pesquisador visitante do Instituto de Pós-Graduação de Liderança Cooperativa (GICL) da Universidade do Missouri (Columbia MO/USA), Fernando Pellenz, discorreu sobre “Tendências de Pesquisa no Cooperativismo nos EUA”. Ele apresentou a Universidade do Missouri, e o GICL, um centro de educação executiva global baseado em pesquisa sobre economia organizacional e ciência da gestão, que tem como objetivo contribuir para o sucesso das cooperativas agrícolas. Apresentou também os estudos que estão sendo desenvolvidos, alguns resultados e o que torna as cooperativas tão bem-sucedidas.

Terceiro dia

Na abertura da noite de encerramento da 5ª Semana Acadêmica e Mostra de Iniciação Científica, a palestra “Como a Unimed Porto Alegre está vendo a inovação em saúde”, ministrada pelo diretor de Provimento a Saúde da Unimed Porto Alegre, Salvador Gullo Neto. O médico disse que em um determinado momento a Unimed Porto Alegre buscou ajuda para iniciar a sua revolução digital e que esse “ser digital” nada mais é do que uma mudança de comportamento. Segundo ele, as cooperativas precisam aprender com os modelos de negócios digitais e buscar uma evolução nessa área. Destacou que a inovação na área de saúde é a bola da vez, e que os cooperados precisam estar preparados para os avanços. “No modelo cooperativo somos muito conservadores. Precisamos discutir a mudança desta mentalidade, deste comportamento conservador. Precisamos fazer a diferença para nossos usuários, gerar valor para nossos públicos, sejam eles cooperados ou usuários”, alerta.

Ao discorrer sobre o tema de sua apresentação para um público formado por alunos e professores da Escoop e de cooperativas, Gullo Neto apresentou vários casos de inovação da tecnologia na saúde. Citou ainda movimentos que a Unimed Porto Alegre está fazendo na área de inovação, como o Hackaton, RH Xperience e Bem-Startup Unimed. Por fim, o médico diretor de Provimento a Saúde da cooperativa citou exemplos de inovações que as Unimeds estão realizando em todo o país e respondeu a questionamentos dos alunos e professores.

Encerramento

A Semana Acadêmica encerrou com a Mesa de Debates 3, sobre “O processo de sucessão nas cooperativas”. A discussão foi mediada pelo aluno do curso de Gestão em Cooperativas, Rodrigo Rocha, e teve como painelistas Fernanda Hillesheim França, analista técnica de Promoção Social do Sescoop/RS, Zenicléia Angelita Deggerone, professora do curso de Administração e Gestão Ambiental da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs), e Jacqueline Aubel, da Cooperativa Vinícola Aurora. Fernanda e Jacqueline falaram sobre o programa Aprendiz Cooperativo do Campo e Zenicléia encerrou a noite e a Semana falando sobre um estudo da atuação das cooperativas agropecuárias na sucessão geracional na região do Corede Norte do Rio Grande do Sul.

 

Compartilhar: