Na última sexta-feira (8/7), o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado do Rio Grande do Sul (Sescoop/RS), na condição de mantenedor da Faculdade de Tecnologia do Cooperativismo – Escoop, firmou a assinatura do termo de cooperação técnica com o Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul (CRCRS), que tem como objetivo prover a cooperação entre as entidades na elaboração do projeto pedagógico do curso “MBA em Auditoria e Contabilidades Cooperativa”, ministrado pela Escoop.

A assinatura aconteceu no Auditório Édio Spier, na sede da instituição de ensino, em Porto Alegre, e contou com a presença do presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas; presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Perius, presidente do CRCRS, Antônio Carlos de Castro Palácios, gerente de Monitoramento do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, José Máximo Daronco e do coordenador jurídico do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Tiago Machado.

ENTENDA A PARCERIA – O convênio entre as entidades vem sendo tratado desde 2012, quando o Sistema Ocergs-Sescoop/RS foi convidado pelo CRCRS a fazer parte de um grupo de estudos da contabilidade no setor cooperativo. Em 2013, foram realizadas reuniões mensais e o primeiro Seminário de Contabilidade do setor cooperativo na sede do Conselho Regional de Contabilidade do RS.

No ano de 2014, foi realizado na Escoop o segundo Seminário de Contabilidade do setor, quando então o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Perius, propôs uma parceria entre as entidades para a realização de um curso de pós-graduação na área de contabilidade. Em 2015, o terceiro Seminário ocorreu em Nova Petrópolis e, nesse ano, também foi estruturada a grade curricular do curso que teve início nessa última sexta-feira (8/7), com carga horária total de 370 horas e previsão de conclusão em maio de 2018.

O termo de cooperação entre as entidades também representa a possibilidade de que os profissionais do setor obtenham pontuação no decorrer das disciplinas concluídas, contemplando o programa de educação continuada. A Escoop é credenciada junto ao CRCRS como uma Instituição Capacitadora, habilitada a promover para os profissionais de contabilidade atividades de Educação Profissional Continuada como cursos, palestras, seminários, convenções e treinamentos internos.

Ao realizar o discurso de abertura, Perius deu as boas-vindas aos presidentes da OCB e CRCRS, e alunos da primeira turma do MBA em Auditoria em Contabilidade Cooperativa, acompanhados pelo professor da disciplina de Comportamento Organizacional e Gestão da Mudança, Fernando Dewes.

Em sua fala, o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS destacou a importância da parceria com o Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul. “Essa parceria é para ser selada com muita força, porque o cooperativismo é um trem que segue dois trilhos, o primeiro é o direito e o segundo é a contabilidade. Se esses dois trilhos fundamentam uma organização cooperativa, esse trem nunca vai descarrilhar”. O dirigente explicou que atividade contábil é fundamental dentro do processo do sistema de controle das cooperativas, junto com a auditoria. “Excelência de controle no processo cooperativo se obtém com uma excelente contabilidade também”.

Na sequência, foi a vez do presidente do CRCRS, Antônio Carlos de Castro Palácios, explanar sobre a assinatura do termo de cooperação técnica com o Sescoop/RS e a Escoop. Palácios afirmou que encarou o projeto como um desafio e que a ideia permite aos profissionais do setor contábil buscarem uma especialização para atuarem dentro sistema cooperativo.

“Eu encarei esse projeto como um desafio, e esse desafio também foi feito também para a nossa comissão de estudos das cooperativas, que nós temos no Conselho, da gente evoluir naquilo que hoje nós conseguimos iniciar, uma formação, uma especialização para aqueles profissionais que atuam em contabilidade e auditoria no setor cooperativo. Não tenho a menor dúvida da importância do setor cooperativo dentro da economia brasileira”, disse Palácios.

Para o presidente do Conselho de Contabilidade do RS, a busca contínua pela especialização e formação continuada possibilita aos profissionais estarem permanentemente atualizados. “Essa instituição de ensino é um patrimônio do cooperativismo nacional. Conseguimos trazer o MBA a vocês que não são, como muito bem disse o presidente Vergilio, alunos, vocês são profissionais que atuam na área, que eu tenho certeza que se tivessem que estar aqui na frente teriam muito a ensinar a qualquer um de nós que estivéssemos aí sentados, pela experiência que vocês têm, pelo conhecimento que vocês têm e, principalmente, pela capacidade de entender a necessidade de se capacitar cada vez mais, de estar permanentemente buscando atualização do mundo em que se tem modificações diárias. A necessidade de estar plenamente atualizado é indispensável”, ressalta Palácios. “Eu tenho absoluta convicção que nós estamos hoje aqui dando um passo gigantesco e inédito nesse tipo de preparação de atualização”.

O presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, destacou a iniciativa que marca a cooperação técnica entre a unidade estadual gaúcha e o CRCRS. “Quisera eu poder levar essa ideia para todos os estados e que as unidades do Sescoop pudessem estar desenvolvendo esse processo de formação conjunta, aonde a gente possa afinar um pouco mais esse diálogo da profissionalização contábil no cooperativismo. Isso é essencial, é fundamental”.

“Eu acredito que o papel da contabilidade é fundamental na vida do cooperativismo moderno, e as nossas cooperativas precisam ter esse papel, tem que ter foco no negócio, buscar resultados, tem que ter números bons, tem que ter planejamentos bons, mas as cooperativas também precisam explorar esse lado do coração. Não se faz cooperativismo só com a razão, com os números e com os cálculos, precisa disso sim, mas na outra mão nós precisamos ter paixão, nós precisamos acreditar e juntar com a confiança e esperança para as coisas acontecerem, isso vem do coração. Sem coração também não tem cooperativa. Eu aposto nisso e espero que vocês sejam a primeira de diversas outras turmas que poderão vir e que vocês daqui possam, como o cooperativismo gaúcho já tem feito, espalhar sementes dessa ideia de uma boa contabilidade, de um trabalho profissional pelas cooperativas do Brasil afora”, complementou o presidente do Sistema OCB.

2016_07_08_Escoop_CRCRS_MBA_178_Int_L

Presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas

“Vocês não imaginam a importância que tem para o presidente da OCB, para quem tem a responsabilidade de lá em Brasília estar representando o movimento cooperativista ter momentos e ter oportunidades de estar se relacionando, de estar conhecendo, estar vendo o que está acontecendo na base, como esses dois dias que eu tive aqui no Rio Grande do Sul, na Serra Gaúcha, em Nova Petrópolis, convivendo com diversas cooperativas e aqui (Porto Alegre) convivendo com vocês, conhecendo um pouco do que vocês estão fazendo aqui nessa formação”.

“O cooperativismo cultiva e faz crescer a confiança, gerando mais esperança. Nós temos que explorar isso um pouco mais e mostrar para o mundo, para a sociedade, para os governos, para os governantes, que tem saída sim (crise) e que o cooperativismo é uma saída. Eu acredito muito nessa bandeira e tenho defendido essa bandeira, até para o cooperativismo se posicionar de uma maneira diferente perante o mundo, ocupando espaço, não resolvendo todos os problemas, mas muito provavelmente conseguindo mitigar a maioria dos problemas que a sociedade hoje está tendo. Eu considero que essa é uma bandeira interessantíssima que nós devemos perseguir. Agora para ter essa bandeira, para levantar essa bandeira, nós precisamos ter uma estrutura de invulnerabilidade, nós não podemos ter telhado de vidro, não podemos estar fazendo coisa mal feita, mesmo que por desconhecimento e quem garante isso é uma boa equipe profissional que nos dê segurança no que registra-se das nossas operações, e é a contabilidade que vocês falam, por isso é importante, junto com a área jurídica, é o que vai dar os nortes para nós”.

2016_07_08_Escoop_CRCRS_MBA_164_Int_L

Presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul (CRCRS), Antônio Carlos de Castro Palácios

“Eu não tenho a menor dúvida de que se firma no setor cooperativo a grande esperança de que nós possamos retomar o nosso crescimento de uma forma ética, de uma forma transparente, porque a transparência sempre foi um marco do cooperativismo. Talvez não exista outra atividade onde a necessidade da transparência e a utilização da transparência nas informações seja tão relevante como é no setor cooperativo, porque todo cooperado quer saber qual é a sua participação, qual é o resultado da sua participação, do seu trabalho”.

“Nós vivemos no nosso País hoje uma crise focada exclusivamente numa falta de transparência, numa falta de prestação de contas e numa falta de auditoria. Eu tenho absoluta convicção de que grande parte, senão a totalidade dos problemas que hoje nós vivenciamos, dos escândalos, das fraudes, das vergonhas que nós deixamos transparecer para o mundo poderiam ter sido evitados ou minimizados ao menos se a nossa profissão, se a contabilidade tivesse sido mais valorizada, se as informações que emanam da contabilidade tivessem sido mais transparecidas e menos manipuladas, se tivesse acontecido menos contabilidade criativa, menos sujeira tivesse sido escondida embaixo dos tapetes, nós com certeza hoje estaríamos vivendo um cenário muito mais favorável do que esse”.

“Eu deposito na contabilidade, na profissão contábil uma esperança muito grande no sentido de fazer com que nós possamos retomar o crescimento e a credibilidade da nossa sociedade brasileira em cima das suas instituições, das suas entidades. Isso passa obviamente pela qualidade do serviço contábil que nós possamos prestar a essas entidades, isso passa pela capacidade da sociedade de entender da necessidade de controlar, isso passa pela transferência que hoje felizmente nós temos uma lei de acesso à transparência, à informação melhor dizendo”.

Compartilhar: